Restaurantes Românticos – Belo Horizonte

Divino Restaurante (Av. Quinta avenida, 144 – loja 6 – Vale do Sol – Nova Lima)
Sabe aqueles sábados que você quer almoçar com calma e gastar quase toda a tarde comendo e bebendo? Então, se você tiver com dinheiro, o Divino é um ótimo lugar para realizar esse desejo.

Localizado na rua principal do Vale do Sol (entrada para o condomínio Morro do Chapéu), o restaurante, apesar de estar em Nova Lima, é bem perto da região centro-sul de BH. A casa é linda e possui dois andares. No dia que fomos, o primeiro estava reservado para um aniversário, o que foi ótimo, pois nosso almoço foi embalado por saxofones. Ainda no primeiro andar, existe uma pequena adega onde você pode escolher os vinhos com a ajuda de um somelière. Os preços são bem mais altos que o supermercado e existem poucas opções por menos de R$ 100, mas é bom ter o conselho de quem entende.

De entrada, pedimos um carpaccio inesquecível, que vem com um molho delícia e uma cestinha de parmesão, além de pães quentinhos, é claro.

carpaccio-divino-restaurante-bh

Como prato principal, fomos de Coração de filé mignon ao molho ‘poivre vert’ com purê de batatas, que também estava muito gostoso. O petit gateou com sorvete foi a escolha para a sobremesa (dividimos, porque não há estômago que aguente).

divino-restaurante-bh

Os pratos + uma garrafa de vinho e três cervejas nos custou R$ 360 para o casal. É caro? Sim, mas vale para dias especiais!

Funcionamento:
4ª a 6ª: das 19h30 às 00h30
Sábado: das 12h30 às 16h30 e das 19h30 às 00h30
Domingo: das 12h30 às 16h30

Bistrô da Matilda (Av. Quinta avenida, 739 – Vale do Sol – Nova Lima)
Esse restaurante é o responsável por uma das melhores memórias gastronômicas que tenho. O lugar é uma casinha super charmosa, na rua principal do Vale do Sol (mesma do Divino Restaurante). Lá dentro, tudo muito romântico, com velas e mesas bem postas. Tudo muito lindo!

De entrada, fomos (para variar) de carpaccio, que foi um dos melhores que já comi na vida! A fatias finíssimas de filé vinha com um molho especial a base de maionese caseira, mostrada, molho inglês, parmesão e alcaparras. Delícia! Para o prato principal, escolhemos um clássico: Bouef à la Bourguignonne, nossa famosa carne cozida. Mas, nessa versão, a carne é cozida por mais de 12 horas em um molho de vinho tinto, cebolas e cogumelos, e vem acompanhada de um purê de batata incrível. Sabe quando a comida provoca aquela sensação de aconchego? Então, foi assim! Para acompanhar um vinho chileno excelente que nunca mais encontrei em nenhum lugar – La Compania, Carmenére (2012).

O valor da conta não me lembro, mas sei que foi condizente com a experiência e digna de um dia especial (ou seja, carinho, mas não impossível).

Bistrô Birosca S2 (Rua Silvianópolis, 483- Santa Tereza)
Esse bistrô descolado é a nova sensação da cena gastronômica de BH. Tanto que o chef (e meu muso) Anthony Bourdain, quando veio a BH, escolheu o local para jantar e gravar seu programa de TV.

Montado em uma casa antiga do bairro mais boêmio de BH – Santa Tereza -, o Birosca é uma excelente pedida para jantares românticos. Quase todas as noites, tem uma atração musical. Caso não esteja nada programado, o piano está sempre liberado para os clientes.

O cardápio é montado de acordo com a estação do ano e dá preferência aos ingredientes da época. A cozinha é aberta (acho isso um barato) e a decoração é a materialização do termo hypster – tudo retrô, com direito a garrafa de abacaxi igual à d’A Grande Família. Tudo muito lindo.

birosca-s2-bh

A água é cortesia da casa e a carta de cerveja e vinho são bem ok. Os pratos são muito (muito) gostosos, elaborados, com combinações instigantes e também um pouco caros – mas valem o preço!

Funcionamento:
3ª a Sábado: das 18h30 às 00h
Chegue cedo, pois está sempre lotado!

Est! Est! Est! (Av. Getúlio Vargas, 107 – Funcionários)
Esse é um típico restaurante italiano. Mesmo. Daqueles que os pratos são divididos em primeiro e segundo, o que significa que a massa não vem acompanhada de carne e, por isso, você acaba comendo mais do que devia.

De entrada, pedimos o couvert tradicional da casa, que vem com pães e patês. Gostoso, mas nada impressionante. Como Primo Piatto, fomos de Spaghetti alla Carbonara (R$ 39), que estava realmente uma delícia. Porém, a porção é grande para quem ainda quer comer carne. Mesmo satisfeitos, decidimos ser italianos de vera e encaramos o Secondo Piatto: Tagliata di Filetto ai Trifolati (R$ 52), que é um filé alto, ao ponto – bem cru por dentro – com molho de cogumelos e batata frita. Estava tudo muito saboroso, mas acabamos não dando conta de comer tudo.

Existem algumas recomendações importantes sobre esse (delicioso) restaurante:
– A massa é al dente e eles não fazem de outra maneira. Aceite, aqui, você está na Itália.
– Os pratos são bem servidos. Por isso, não seja guloso como eu e meu namorado fomos e prefira dividir um dos pratos, ou a massa ou a carne.
– O restaurante é bem bonitinho, mas o grande tchan dele está no terraço com mesas e um clima de festa de verão na Europa.
– Os preços são bem bons se levarmos em conta a comida (muito gostosa) e o preço dos restaurante dos mesmo nível em BH.

Conclusão: vale muito a pena conhecer e repetir!

L’Entrecôte de Paris (R. Marília de Dirceu, 189 – Lourdes)
Essa franquia, em BH, segue a mesma linha dos outros L’Entrecôte: um prato único, delicioso, que garante a fidelidade do cliente. Pense em uma carne, vermelhinha por dentro, embebida em um molho divino de mostarda dijon e pimentinha (e algum ingrediente secreto), acompanhada por batatas fritas crocantes e servida infinitamente. Pronto, é esse o segredo do restaurante, localizado bem no burburinho do Lourdes.

lentrecote-paris-bh

Por servir apenas um prato, acredito que o serviço poderia ser mais rápido, mas nada que enerve o cliente. O restaurante é super românticozinho, com mesas dentro e outras fora, à luz de velas.

O preço não é tão maravilhoso quanto ao prato. Saladinha + L’Entrecôte Classique (eles têm o prime com um corte mais refinado do entrecot) = R$ 73,80. Durante a semana, no almoço, eles servem uma versão executiva que, com a sobremesa, sai por R$ 59,90.

Que tal ir além do arroz com feijão nas suas viagens? Chega aqui e veja como construir viagens com a sua cara.

Anúncios

Onde Comer – Foz do Iguaçu

Famiglia Maran Confeitaria e Panificadora (R. Almirante Barroso, 1968)
Essa padaria foi nossa salvadora! Como fica aberta (mesmo) 24 horas por dia, conseguimos jantar às 2h da manhã, quando chegamos a Foz do Iguaçu. Além de sanduíches, doces e salgados, o local tem um buffet de sopas (somente durante o inverno) e serve pratos prontos a qualquer hora do dia e da noite. Optamos por um PF padrão – arroz, feijão, farofa, batata frita e bife – o de frango estava mais gostoso que o de boi. Os pratos são muito fartos e vêm com bastante carne (no meu prato tinham quatro bifes de peito de frango). A comida é gostosinha, mas, para às 2h, é simplesmente deliciosa. Rs…

Aberta 24h
Preço médio dos pratos: R$ 25
Aceita Alelo

City Bier (Rua Quintino Bocaiuva, 1088)
É um boteco com mesas em local coberto. O que, para mim, é uma coisa boa. Porém, o serviço do lugar deixou muitíssimo a desejar. Chegamos depois do passeio às cataratas com muita fome. No balcão tinha um buffet livre de feijoada que parecia estar ali desde cedo, sob o sol, por isso, achamos melhor não arriscar um piriri gangorra. Pedimos um filé na chapa, acompanhado de arroz, mandioca, vinagrete e farofa (R$ 46); e minha mãe escolheu o PF de filé (R$ 25). A comida estava gostosinha, farta e adequada ao preço. Tudo ok se não fosse o humor da garçonete, que nos jogou os pratos e não teve nenhuma boa vontade em nos atender. Conclusão: ninguém é obrigado a ser mal atendido, principalmente nas férias, por isso, vá a outro restaurante. Existem milhares como o City Bier por Foz do Iguaçu.

2ª a sábado: 16h às 00h
Aceita Alelo

La Máfia (Rua Watslaf Nieradka, 195)
Simplesmente o melhor restaurante da viagem (e acredito que de Foz do Iguaçu). O lugar é lindinho, com uma decoração mega descolada. Como não tínhamos reserva, tivemos que esperar um pouquinho no sofá, na entrada. Mas tudo valendo a pena.

restaurante-la-mafia-foz-iguacu

Na frente do local, o próprio restaurante tem uma adega onde você pode ir e escolher o vinho para acompanhar o jantar ou simplesmente comprar e levar para casa. Por isso, a carta tem opções de todos os preços, de R$ 40 a R$ 200. Um luxo!

De entrada, pedimos bruschettas, que estavam deliciosas e vieram rápido. Como o restaurante estava cheio, decidimos não demorar muito para fazer os pedidos – grande insight, porque mesmo assim, demorou uns 50 minutos. Minha mãe e meu namorado foram de nhoque à bolonhesa (R$ 40) e eu de tagliatelle ao ragu (R$ 45). Essa foi a melhor massa que comi na vida! Caseira, fininha e no ponto certo de cozimento. Incrível, incrível e incrível. O nhoque também estava bem gostoso, leve, o que é difícil para o prato. Infelizmente não sobrou espaço para a sobremesa, mas as que vi passando estavam muito bonitas!

Tenho que ressaltar também o excelente atendimento que recebemos. Todos os garçons e garçonetes muito atenciosos, simpáticos e prontos a ajudar. Ponto extra.

Conclusão: se for a Foz do Iguaçu, vá ao restaurante La Máfia!

2ª a sábado: 19h às 23h30
(45) 3572-1015

A Piacere (Avenida Cordoba, 125 – Puerto Iguazu, Argentina)
Esse restaurante fica na rua dos restaurantes – todos os estabelecimentos mais bem avaliados no Trip Advisor estão ali. Dentre tantas opções, acabamos escolhendo o A Piacere porque o ambiente era muito gostoso – climinha de verão europeu na parte externa e restaurante chique no salão. Ficamos na parte de dentro, pois ficamos com medo de esfriar muito.

a-piacere-restaurante-puerto-iguazu

A comida é deliciosa! De entrada fomos de empanadas, que foram servidas na versão frita – gosto mais da assada, mas o recheio estava mara! Como prato principal, meu namorado, que nunca tinha comido uma parrilla argentina de verdade, escolheu a carne, que veio acompanhada de arroz, farofa, salada e batata frita. Tenho que admitir que, eu que não sou muito fã de parrilla, me arrependi de não ter seguido-o na escolha do prato. A carne estava saborosíssima, temperada (o que é raro), macia e no ponto exato.

a-piacere-puerto-iguazu

Eu e minha mãe fomos de filé mignon ao molho de Malbec com purê de batata trufado (que não tinha nada de trufado, mas estava bem gostoso). A carne, para mim, estava um pouco bem passada demais, mas muito macia e gostosa, mas ainda sim, preferi o chorizo.

a-piacere-restaurante-puerto-iguazu

De sobremesa, meiamos um petit gâteau que estava mais para um brownie do que para o famoso bolinho francês. Deixaram cozinhar demais e o recheio não estava cremoso como deveria. Mas gostoso ainda assim.

O único ponto negativo do restaurante é o tempo de espera pelos pratos. O serviço é muito lento! Esperamos quase meia hora pela sobremesa, depois de terem demorado quase uma hora até trazerem os pratos.

Todos os dias: 12h às 23h45
Média de R$ 50 reais por pessoa
Aceita cartão

Onde Comer – Gramado e Canela

GRAMADO:

Josephina (Rua Pedro Benetti, 22 – Centro, Gramado)
Bistrô/padaria super charmoso, localizado na rua lateral da igreja (um pouco depois d’O Pasteleiro e da Hering). Boas opções de risoto e carne.

restaurante-josephine-gramado

Comemos um risoto de alho poró, tomate cereja e brie (gostoso, mas um pouco sem gosto) e o peixe com purê de baroa (excelente opção para amenizar o peso na consciência dos milhões de chocolates ingeridos ao longo do dia). Sobremesas deliciosas, boa carta de vinho e garçons super agradáveis. Os preços são bons (pratos por 30,00 / 40,00). Não deixe de experimentar!

Funcionamento: terça a domingo: 11h30 às 23h

Ristorante Tomasini (Av. das Hortênsias, 1189 Bairro Centro – Gramado)
Esse restaurante foi uma boa surpresa! No nosso último jantar, não queríamos repetir o Josephine Café pela terceira vez, então decidimos caminhar e avaliar os restaurantes. Acabamos entrando no Tomasini (ainda bem!). Os pratos são super bem servidos (um dá para dois tranquilamente) e deliciosos. Risoto de camarão muito bom – vem em uma panelinha de pedra – e carne com arroz e batatas muuuuito macia e saborosa. O único problema é sair defumada por causa do fondue dos outros clientes.

restaurante-gramado

Mestre Cuca Bistrô (Av. das Hortênsias, 877)
Deixamos para ir no último dia e que arrependimento. Pedimos salada com salmão e outra com frango. As duas estavam muito ruins! O peixe não era fresco e o frango veio cru. Se erraram em pratos tão simples, não quero nem imaginar como são os pratos mais elaborados!

Funcionamento: todos os dias das 7h às 23h

CANELA:

Empório Canela (Rua Felisberto Soares, 258 – Centro de Canela)
Este café e bistrô tem o mesmo estilo do Josephina, localizado no centrinho de Canela, bem pertinho da Catedral de Pedra. É uma casa meio avermelhada ao lado da Caracol Chocolates. No centro do Empório há uma pequena livraria e existe ainda uma varanda super delícia para quem quer beber e comer enquanto vê o movimento da cidade. O cardápio é bem variado e cabe em todos os bolsos – entradas e petiscos que custam entre R$ 10,90 e R$ 28,90 e os pratos individuais, com massas, risotos, peixes ou carnes, variam de R$ 42,90 a R$ 254,90. O restaurante possui ainda uma carta de cervejas artesanais bem completa.

Quer ir além do arroz com feijão nas suas viagens? Converse com a gente e descubra as mil possibilidades que o mundo te oferece (e que cabem no seu bolso).

 

Onde Comer – San Andres

Perro Caliente
Rede de hamburguesa de trailler. Simplesmente horrível! A carne é seca, o molho tem um gosto forte e o atendimento é péssimo e mal-educado. Acabamos comendo aí, pois era a única opção aberta quando chegamos, já que era muito tarde. Mas, sinceramente, era preferível ter comido chips.

Hamburguesa = COP 9.000
Água e Cerveja Miller = COP 2.000 cada

Cafe Cafe (Avenida Colombia)

Cafe Cafe - San Andres
Cafe Cafe – San Andres

Espécie de café, pizzaria e restaurante que fica centro de San Andres, pertinho da praia. A decoração é de lanchonete americana dos anos 50 e a comida é bem gostosa. Pedimos uma massa a bolonhesa (COP 21.500 grande) e outra a Marinara (COP 21.500 Júnior), com frutos do mar. O local é uma excelente opção para os dias em que é preciso almoçar mais tarde, já que fica aberto direto, até às 23h.

Beer Station (Avenida Colombia #1a-16 local 102)
O que realmente vale aqui é a vista. O bar fica em um pier, praticamente sobre o mar da Playa Peatonal. A cerveja é gelada e oferecem muuuuitas opções de drinks.

Aguila = COP 4.900
Daiquiri = COP 12.900

Portobelo (Avenida Colombia 5A 69)
Esse restaurante embaixo do hotel de mesmo nome é uma boa opção para quem não tem café da manhã incluído na diária. Fomos lá todos os dias que ficamos em San Andres, pois o cardápio de café da manhã é completo e o preço é bom. Sem contar que é a cara da riqueza tomar café de frente para o mar do caribe, né? Ryca!

Café Americano (suco, café ou chocolate quente, pães, arepa e ovos mexidos) = COP 15.000

Miss Celia (Avenida newball, em frente ao Club Nautico)

Miss Celia - San Andres
Miss Celia – San Andres

Em uma casa de madeira e palha, o restaurante é super acolhedor. Os pratos são bem gostosos, muito fartos, baratos e servidos rápidos. Ou seja, uma excelente opção para o dia de dar a volta na ilha, já que no fim de tarde todos estão famintos. O atendimento é super solícito, porém, a conta demorou muito (mesmo) para chegar.

Peixe frito, arroz, salada e pláton = COP 30.000

Missi Celia - San Andres
Missi Celia – San Andres

La Regatta (Avenida Newball, ao lado do porto)
Esse é, sem dúvida, o melhor e mais bonito restaurante da cidade. A casa fica em cima do mar e das mesas próximas às janelas é possível sentir a brisa do mar e ver arraias nadando. O atendimento é bom, educado e rápido. O wi-fi só funciona de verdade na entrada e perto dos banheiros. Mas é até melhor, pois assim você não se distrai com outra coisa que não seja a decoração e o mar. O valor dos pratos principais varia de COP 30.000 a COP 50.000 (a lagosta custa COP 90.000).

La Regatta - San Andres
La Regatta – San Andres

O couvert é bem gostoso, com frutas, pão e molhinho de limão. De entrada, pedimos uma salada super gostosa. Como principal, pedimos um peixe empanado em parmesão com salada (gostoso) e um peixe ao molho de camarão com arroz (muito gostoso). De sobremesa, encaramos um brownie com sorvete simplesmente delicioso. De bebida, pedimos cerveja (fria) e mojito (incrível!).

La Regatta - San Andres
La Regatta – San Andres

Se for a San Andres, não deixe de comer no La Regatta. Não se esqueça de reservar, se não você, provavelmente, vai voltar frustrado para casa.

Aquarius (Avenida Colombia 5A, ao lado do Portobelo)
Com mesas na calçada, de frente para a praia, esse restaurante é a tradução perfeita da expressão “comer com vista”. Para o nível de San Andres, o serviço é até rápido – o prato demorou cerca de 20 minutos. A comida é gostosa, apesar de ser bem carinha (é o preço a ser pago pela vista).

Aquarius - San Andres
Aquarius – San Andres

Peixe ao molho de camarão gratinado, salada, arroz de côco queimado e batata frita = COP 50.000
Peixe empanado, salada, arroz de côco queimado e batata frita = COP 35.000

Presto
Essa rede de fast food colombiana não é tão fast quanto deveria e não tão barata. Mas, no dia de irmos embora, foi a melhor escolha, já que o Subway estava lotado e não queríamos correr o risco de perder o voo graças ao atendimento lento típico de San Andres. O hambúrguer é gostosinho e a batata frita é igual ao do Mc Donald’s. Ou seja, com (média) pressa, vale o Presto.

Cheeseburguer, batata frita e refrigerante = COP 21.000
Hambúrguer = COP 14.000

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você esteja.

Onde se Divertir – Cartagena

Cafe Havana (Calle Media Luna com Calle del Guerrero – Getsemaní)
Simplesmente a melhor noite de toda a viagem. Depois de ver os fogos da virada de ano em cima da muralha (saiba tudo sobre o reveillon na cidade), fomos ao Café Havana para entrar em 2016 com o pé direito.

Cafe Havana - Cartagena
Cafe Havana – Cartagena

Apesar de ser fora da Ciudad Amurallad – fica em Getsemaní -, é super seguro ir a pé até lá. O lugar é pequeno, com um bar que ocupa quase toda a extensão do salão. No palco, bandas cubanas – no dia que fui, uma banda só de mulheres foi quem animou a noite – que apresentam o que há de melhor no país de Fidel. Não há muito espaço em frente ao palco para dançar, mas se você estiver bêbado, assim como eu e meu namorado estávamos, não se acanhe porque é possível dar um show, mesmo que para isso alguns dedões sejam pisoteados.

Cafe Havana - Cartagena
Cafe Havana – Cartagena

Próximo ao bar tem um espaço bom para quem sabe dançar salsa mostrar suas habilidades ou para quem quer se arriscar em alguns passinhos. A cerveja é gelada e custa o preço normal – COP 8.000. Paga-se para entrar (somente em dinheiro) e lá dentro é possível usar cartão de crédito. Na hora de ir embora, é só pegar um táxi – têm muitos na porta.

Se você quer saber o que que a cubana tem, não deixe de ir ao Cafe Havana! O passeio fica melhor ainda quando suas companhias são casais recém conhecidos em uma adega, em plena noite de Réveillon.

Quer ir além do arroz com feijão em suas viagens? Vem aqui e descubra o quanto o mundo pode ser surpreendente!

Onde Comer – Cartagena

Pepe Anca (Callejon de Los Estribos 2-56)
Especializado em carne, esse restaurante está entre os mais bem avaliados no Trip Advisor. É um pouco mais caro que os outros que fui, mas como era meu primeiro dia na cidade, quis esbanjar. Valeu cada centavo gasto. O ambiente é bonito, porém estava um pouco quente – o ar condicionado estava meio baixo e o salão um pouco cheio – e o wifi não funcionava muito bem. O couvert, gratuito, vem com patacón com molhinhos picantes. Como prato principal pedi peixe com molho de camarão, que veio com dois acompanhamentos (COP 42.500) – sei que o restaurante é de carne, mas não resisto a camarão. Meu namorado seguiu o protocolo e pediu T-bone (COP 48.500), que veio alta, bem temperada e mal passada, como manda o figurino. O café é cortesia da casa. Destaque para o papel higiênico que era excepcional – encorpado e macio. Juro! Rs…

Carbon de Palo (Avenida San Martín No. 6 – 40 – Bocagrande)
Localizado em Bocagrande, na rua que das lojas chiques (Carrera 2), esse restaurante serve carne no estilo argentino – alta, macia, no ponto e sem tempero. Os pratos acompanham batata assada com molho de queijo, arepa com queijo e molhos chimichuri e picante.

Baby beef do Carbon de Palo - Cartagena
Baby beef do Carbon de Palo – Cartagena

Você pode escolher entre dois tamanhos de carne – 300g e 400g. Pedimos a maior e foi mais do que suficiente, mas, como estava muito boa, valeu a gulodice. Os preços estão dentro do esperado para um restaurante como esse – Baby beef: 300g = COP 35.000, 400g = COP 42.000. As cervejas têm um preço bom e são servidas geladinhas (ponto!) – Aguila = COP 5.000 e Club Colombia = COP 7.000. O atendimento é super cortês e a dona faz questão de atender as mesas. Uma fofa! Se a ideia é almoçar em Bocagrande e depois dar um rolê pela praia, o Carbon é uma boa escolha!

La Bruschetta (123, Cra. 7 #38 – perto da Casa de Gabriel Garcia Marquez)
Esse é um daqueles restaurantes com a cara da riqueza, sabe? Mesa com muitos talheres e taças, guardanapo de pano… tudo para deixar mais difícil a movimentação. O serviço é muuuuuito demorado e, apesar da comida ser bem gostosa, não compensa a espera nem o preço (COP 45.000). A carne que pedimos veio mal passada, como queríamos, e super macia. Porém, era acompanhada com um molho de shitake que não estava no cardápio. Resultado: meu namorado, de ressaca, acabou deixando quase toda a carne no prato porque não gosta de cogumelos (perdeu, porque estava uma delícia!).

Conclusão: vá ao La Ceviceria, que é pertinho e, com certeza, tem serviço mais rápido e menos surpresas no prato.

La Bruschetta - Cartagena
La Bruschetta – Cartagena

La Galeria (Plaza de San Diego. Calle 39 #8-34)
Pequenino e localizado na minha praça preferida de Cartagena, essa pizzaria é bem charmosa e super em conta. Pedimos uma pizza marguerita e uma de jamón – grandes, de massa fina e super gostosas – por COP 17.000 cada. Se não tiver com muita fome, dá para dividir uma tranquilamente.

La Galeria - Cartagena
La Galeria – Cartagena

Os pratos de massa são bem fartos e custam entre COP 20 – 25.000. A limonada de côco é deliciosa e grande (COP 7.000), vem com uma espécie de calda que dá um toque especial. O lugar é um pouco confuso, mas ainda assim é uma boa opção para um jantar ou almoço leve.

Hard Rock Café (Cra. 7 nº 32-10 – Plaza de la Aduana)

Hard Rock Cafe - Cartagena
Hard Rock Cafe – Cartagena

Como serviço demorado é uma constante em Cartagena, no último dia, preferimos não arriscar e optamos pelo padrão americano de ser: rápido, eficiente e sem grandes firulas. Igual a todos os outros do mundo, o Hard Rock possui bons pratos a preços razoáveis. Pedimos carne com purê e vegetais (COP 38.000) acompanhado de uma boa cerveja fria (gelada seria muito).

hard-rock-cafe

A vista é bonita – de frente para o braço de mar que separa a cidade murada de Getsemani – e o serviço é rápido. Uma boa pedida para quem tem horário para embarcar.

Vista Hard Rock Cafe - Cartagena
Vista Hard Rock Cafe – Cartagena

Luxury (Plaza Santo Domingo)
Com mesas na praça, esse bar é uma boa opção para a cerveja de fim de tarde. Apesar do atendimento demorado, vale a pena esperar, pois a cerveja é a mais gelada da praça. O preço é um pouco alto (Club Colombia = COP 8.500), mas vale a vista do bumbum da La Gorda, escultura de Botero.

KGB (Parque Fernandez de Madrid)

Bar KGB - Cartagena
Bar KGB – Cartagena

Bar com temática russa muito frequentado pelos gringos. A decoração é bem legal e é uma atração a parte. A cerveja é gelada (finalmente um lugar que sabe usar o congelador) e o mojito é uma delícia (COP 18.000 – grande).

Bar KGB - Cartagena
Bar KGB – Cartagena

Uma ótima opção para fazer um aperitivo antes do jantar ou tomar o último drink antes de voltar para o hotel.

La Paleteria (Calle de Ayos Number 03-86 | Local 2)
Cartagena possui várias sorveterias e como o clima é propício, dá para experimentar todas. A La Paleteria com certeza tem que entrar na lista. Atrás de uma portinha se esconde um mundo de sabores de sorvete e um lustre lindíssimo.

Lustre La Paleteria - Cartagena
Lustre La Paleteria – Cartagena

O lugar é pequeno, mas possui bancos e ar condicionado (!!!). Cada bola de sorvete custa COP 5.500. O de bon bon ferrero é muito gostoso. Porém, o de vanilla, está apenas na média.

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você esteja.

Onde se Divertir – Ouro Preto

CAEM (Praça Tiradentes, 9 – Centro)

caem-ouro-preto
CAEM – Ouro Preto

O Centro Acadêmico da Escola de Minas é casa de grandes shows e festas dos estudantes. O lugar é basicamente um galpão com um palco, bar e muitos banheiros (obrigada, Senhor!). Não sei se pela embriaguez tradicional (afinal, beber umas antes, na Rua Direita ou na própria Praça é de praxe) ou pelo espírito jovem que tomava conta do meu ser, mas todas as vezes que fui a uma festa do CAEM, me diverti horrores! Acompanhe a programação e se prepare para sair imundo de lá – existe uma certa prática de rolar no chão do CAEM. Nunca me aventurei, mas vai que você se anima, né?

Repúblicas
Como disse, Ouro Preto é uma cidade estudantil, povoada por jovens em busca de muita diversão. Por isso, para se divertir, não há melhor lugar do que onde os estudantes se reúnem – nas Repúblicas. Fique atento à movimentação nos casarões que ostentam uma placa de identificação, converse com as pessoas na rua e descubram onde é o rock do dia.

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você vá.

Onde Beber – Ouro Preto

Rua Direita (Rua Conde de Bobadela)
É aqui que se concentra o burburinho e a diversão. Com muitos bares, restaurantes e lojinhas, a Rua Direita, que na verdade se chama Rua Conde de Bobadela, fica lotada à noite. As pessoas se dividem entre as mesas, escadas, calçada e rua, bebendo e conversando até a hora da festa – seja no CAEM, Repúblicas ou Centro de Convenções.

Ouro_Preto_14_07_2012
Rua Direita – Ouro Preto

Satélite (Rua Conde de Bodadela, 97 – Centro)
Em frente ao antigo Barroco – bar super tradicional que vendia uma coxinha delícia, daquelas que vêm com o ossinho da aposta, sabe? -, na Rua Direita, o Satélite está sempre cheio, a qualquer hora do dia. Seja porque fica aberto direto, porque tem cerveja sempre gelada (long neck e garrafa), ou porque o cardápio agrada a todos – é pizzaria, bar e lanchonete. Eu sempre acabo bebendo no Satélite, não tem jeito! E para acompanhar, a tradicional porção de filé com fritas (R$ 36,50 – meia porção).

Se mais do que saber sobre os lugares, você quer uma mãozinha para planejar a viagem, vem aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos.

Onde se Divertir – Rio de Janeiro

Palaphita Gávea (Av. Bartolomeu Mitre, 1.314 – Gávea)
Essa foi a “balada” que mais fui no Rio. Talvez, se fosse em BH, onde moro, nunca teria ido. Digo isso porque as filas são grandes – para entrar, para comprar bebida, para ir ao banheiro -, e a galera é meio pagaçãozinha. Mas, como quando a gente viaja vale tudo, posso gritar ao mundo que gosto do Palaphitas. Tem todos os problemas citados anteriormente? Sim. Porém, também tem música boa e gente jovem reunida. Sem contar que o lugar é lindo, dentro do Jóquei. É caro, não vou mentir. Mas como em viagem vale tudo, dá para esbanjar.

Festa: Fica Comigo
Sou uma baranga assumida, escuto rádio brega, sei cantar todos os pagodes românticos e me acabo em festas como a Fica Comigo. Já fui em duas edições e amei as duas. Lá, só toca música que bombou nas rádios bregas nos anos 90 (estou inventando a década, mas sei cantar todas e me lembro de escutá-las no toca fitas lá de casa). Ou seja, a galera se joga, cantando os pagodes melosos de olhinho fechado. A festa é um pouco cara, por isso, o esquema é o seguinte: começo de festa, todo mundo arrumadinho, pagando de gat@; à medida que o álcool vai subindo e a noite vem chegando (as duas que fui começaram à tarde e eram open bar), os cabelos começam a despencar e a pose diminui; do meio do show para frente é só alegria, todo mundo descabelado, suado e dançando. Se der a sorte de estar no Rio no mesmo dia da festa, vá!

10744943_10205085372596981_290991456_n

Quadras de Escola de Samba
Ir a um ensaio de escola de samba na quadra da escola é algo para se fazer antes de morrer. É ali que toda a mágica acontece e que você consegue entender porque tem gente que dedica o ano todo a apenas um dia de desfile. Na quadra tem cerveja no copo de plástico, tem samba bom, tem a empolgação da comunidade, tem rainha de bateria, tem tudo o que você precisa para ser feliz e se esbaldar com o que o Rio tem de melhor. Fique de olho, pois a partir de setembro começam os ensaios.

Lapa 40 Graus (Rua Riachuelo, 97 – Centro)
Idealizada pelo dançarino Carlinhos de Jesus, o Lapa 40º é uma mistura de sinuca, boteco e casa de show para gringo ver. Mas não me venha com preconceitos de que é coisa de turista porque não é bem assim não. É carinho para entrar (R$ 40 média) e quem ganha em dólar acaba ganhando vantagem? Sim. Mas tem samba bom, espetáculo de dança e galera divertida, bebendo e tentando sambar? Também. E lembre-se, você não é gringo, mas também não nasceu no berço do samba. Por isso, quebre parâmetros e se caia no samba. Quem sabe o Carlinhos não te tira para dançar no palco, junto com ele?

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Se permita viver uma experiência inesquecível onde quer que você vá.

Onde Beber – Rio de Janeiro

Belmonte
Ver Onde Comer.

Jobi (Avenida Ataulfo de Paiva, 1166, Loja B – Leblon)
Típico boteco/restaurante carioca, com excelente comida, chopp gelado e preços altos. Sempre cheio de gente bonita, o lugar é bom para paquerar ou para tomar só um chopinho acompanhado de deliciosos bolinhos de bacalhau.

Funcionamento:
Segunda a quinta: das 10h às 4h
Sextas e sábados: das 10h às 6h
Domingos: das 10h às 4h

Boteco da Garrafa (Av. Mem de Sá, 77 – Lapa)
A Lapa por si só já é um excelente lugar para se beber. A cada esquina tem um bar, mesas na calçada e gente, muita gente. Resolvi dar destaque a esse boteco porque foi o primeiro que fui na Lapa e, por isso, tenho um certo apego sentimental a ele. Parece que esse bar é do Belmonte – monopólio maior que o da Globo -, mas não tenho certeza. Fato é que ele serve cerveja gelada e tem petiscos deliciosos. O preço é um pouco mais alto do que alguns bares próximos, mas como disse, não me julguem, é apego.

Baixo Gávea (Praça Santos Dumont – Gávea)
Esse é meu lugar favorito para beber com a galera, comer um galeto ou fazer um esquenta pré-balada. Bem mais descontraído e informal que os bares de Ipanema, ir para o Baixo Gávea significa beber em pé, com muita gente jovem e decolada ao lado. Se quiser sentar para beber e comer, indico o Braseiro ou o BG. Mas se estiverem cheios, não se acanhe e beba na praça mesmo.

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você esteja.