Quem viaja

11707572_10207049073168268_7143809881997286458_n

Este blog é sobre experiências e viagens, mas, como os relatos são feitos a partir do meu ponto de vista, não podemos ignorar minha história, personalidade e preferências, pois estes são filtros importantes na maneira como percebo o mundo. Por isso, senta que lá vem história (breve e resumida).

Nascida nos anos 80, em Brasília, sempre me denominei mineira com orgulho – moro em Belo Horizonte desde sempre. Aprendi a ler e escrever aos quatro e aos dez queria ser poetisa.

Sou formada em jornalismo e relações públicas pela UFMG e estou um relacionamento sério com a busca pela comunicação com sentido.

Estou intensa. Ser, sou apenas baixa (e curiosa, talvez), o resto é momentâneo. Falo alto e sobre tudo, onde e com quem eu esteja. Muitos pensam que isso é falta de filtro, mas, na verdade é sobra de vontade. Estou atenta a tudo o que me rodeia, mesmo sem tirar os olhos de você.

Venho de uma família de mulheres fortes e sigo a receita à risca. Sou do tipo que dá conselhos, decide as viagens, briga, chora e pede desculpas, medica e programa o fim de semana. Tudo tentando ser justa, sem deixar de ser um pouquinho egoísta. Afinal, anos de terapia ajudam, mas não mudam ninguém por inteiro.

Minha primeira viagem foi com menos de um ano, vindo para a cidade que hoje chamo de casa. De lá para cá já foram 13 estados e 16 países, sendo que dois pude chamar de lar – já morei em Porto e Barcelona. Adoro viajar sozinha, mas gosto mais ainda de levar pessoas que gosto aos meus lugares prediletos. Minha mãe sempre foi uma grande companheira e juntas já ficamos em muquifos, jantamos em restaurantes chiques e subimos a Torre Eiffel. Em sua primeira viagem internacional “sozinha”, montei todo o roteiro (ingressos, mapas, reservas, dicas e acompanhamento 24 horas) para que o passeio à Toscana saísse perfeito. E assim foi.

Prefiro montanha a praia; cerveja a vodca (mas empata com vinho); não resisto a fazer umas comprinhas, seja no shopping ou em feiras de artesanato; abraço as pessoas; tenho preguiça de sair no frio e odeio a obrigação de conhecer todos os pontos turísticos da cidade. Sonho em morar fora novamente; pesquiso passagens todos os dias; busco viajar, pelo menos, uma vez por mês e tenho inveja (bege) de todos que estão fazendo isso neste momento.

Dou mais valor a experiências e pessoas do que a lugares. Afinal, o que são cidades se não o significado que a população dá para ela? Por isso, minhas dicas nada mais são do que relatos do que vi, vivi e encontrei pelo mundo.

Além de compartilhar minhas histórias, também te ajudo a viver experiências incríveis e personalizadas onde quer que você esteja. Não é preciso embarcar em uma excursão para viajar com segurança. Chegue mais e descubra que o mundo vai muito além da bandeirinha amarela no início da fila.

Anúncios