Onde Comer uma Boa Carne – Belo Horizonte

Boi na Chapa (Rua Curitiba, 1825 – Lourdes)
Melhor bar/restaurante com a melhor picanha de Belo Horizonte. É sério, almoçar ou jantar aqui é sinônimo de qualidade de vida! Em um estilo boteco arrumadinho – mesas de madeira e com toalha, porém, na calçada – esse é o lugar para almoçar com amigos ou jantar pós festas no início do mês (para tudo existe um preço a ser pago).

Além das carnes, feitas na chapa de maneira brilhante, os acompanhamentos também são deliciosos. Pausa para um agradecimento especial pela farofa de ovos e bacon. A cerveja é sempre gelada e nunca há muita fila de espera.

Ou seja, está com dinheiro ou com o vale-refeição completo? Vá ao Boi na Chapa!!!

Parrilla del Mercado (Rua Ouro Fino, 452 – Cruzeiro)
É caro, é cheio, mas também é delicioso! A carne do Parrilla é feita aos moldes dos argentinos – alta e na brasa. Localizada no estacionamento do Mercado Distrital do Cruzeiro, o restaurante tem um clima descontraído apesar do alto poder aquisitivo dos seus frequentadores. Os pratos não vêm com acompanhamento, mas ficam prontos bem rápido. O local é um pouco barulhento, bom para reunião de amigos e almoço de famílias animadas.

parrilla-del-mercado-bh

Sugestão: bife parrilla acompanhado com batata frita ou batata assada recheada com queijo.

Casa do Churrasco (Rua Kepler, 588 – São Bento)
Esse restaurante, antigamente, era apenas uma loja que vendia coisas para churrasco – carvão, carne e o melhor pão de alho da vida. Recentemente, reformou todo o espaço e abriu também como restaurante.

No cardápio, carnes e mais carnes. Para a entrada, a linguiça com pimenta biquinho é perfeita! Principal, carne, que vem apenas com farinha e vinagrete. Para acompanhar, batata frita ou salada.

As porções são um pouco pequenas e os preços bastante altos. Mas, em dias de carnivoracidade máxima, vale muito a pena tirar o escorpião do bolso.

La Macelleria (Rua Francisco Deslandes, 1038 – Anchieta)
Esse restaurante meio açougue é um dos mais bem avaliados no Trip Advisor, mas, para mim, está longe de estar entre os top 5. Fui comemorar o aniversário do meu namorado lá, já que ele é aficionado por carnes e a decepção foi grande.

la-macelleria-bh

A linguiça que pedimos de entrada estava suuper seca e a carne, que é servida com acompanhamento à parte, também estava longe de ser 5 estrelas. O atendimento não é dos mais eficientes, a caipivodca vem em um mini-copo e os preços são bem maiores que o espaço entre as mesas. Realmente, fiquei muito decepcionada, ao ponto de ter raivinha e não querer dar uma segunda chance ao local.

Conheça os lugares além do que contam os guias tradicionais. Transforme suas viagens e experiências transformadores. Converse com a gente e descubra como.

Anúncios

Pizzarias – Belo Horizonte

68 Pizzaria (Rua Felipe dos Santos, 68 – Lourdes)
Essa foi a primeira pizzaria mais “gourmet” a abrir em BH. Pelo menos, que eu me lembre. Por isso (e pela qualidade da redonda), ela é uma das minhas preferidas na cidade.

68-la-pizzeria

A massa é fina sem ser insuficiente, a quantidade e qualidade dos recheios são sempre surpreendentes, a carta de cerveja (long neck) e drinks é boa e o ambiente é suuuper charmoso e chiquemente aconchegante. Além de pizzas, eles servem bruschettas, massas, calzones, pratos quentes e salada.

Sim, as pizzas são mais caras, mas vale a pena, porque, nesse caso, sair para comer uma pizza na 68 é a saída do dia e não apenas um pré ou pós.

Funcionamento:
2ª a 4ª: das 18h às 00h
5ª a Sábado: das 18h às 2h
Domingo: das 12h às 00h

Olegário
Como existem muitas unidade da Olegário em BH – quase todas junto aos hotéis Promenade (veja onde se hospedar em BH) -, essa acaba sendo a escolha mais prática para os dias de gordice. A massa é média, nem muito fina e nem grossa, e os recheios são gostosos. Um ponto positivo é que eles mantiveram os sabores clássicos, como calabresa, marguerita e tal, no cardápio. Ou seja, dá para ir com criança e com gente chata para comer.

Os preços são meio altos – pizza média custa cerca de R$ 50 -, mas está dentro do padrão desse tipo de pizzaria. Sem contar que o ambiente, atendimento e sabor fazem valer o gasto.

Marília Pizzeria (Rua Marília de Dirceu, 226 – Lourdes)
Essa pizzaria está entre as minhas preferidas. Tanto pelo cardápio e drinks (a caipivodca é ótima!) quanto pelo ambiente e clima de paquera chique que tem. Rs..

marilia-pizzeria

Localizada na rua mais movimentada do Lourdes, a pizzaria reúne muita gente bonita (e metida também), mas às vezes é bom dar uma circulada por lá.

Além das pizzas, que são muito gostosas mesmo, a casa serve massas, saladas e risotos. Os preços são altos, mas seguem o padrão das duas anteriores.

Funcionamento:
Todos os dias: das 18h à 1h

Pizza Sur
Existem três unidades do Pizza Sur em BH e cada uma me atende de uma forma diferente. A da Rua Levindo Lopes, na Savassi, é ótima para comemorar aniversários, pois é mais vazia, além de servir um almoço delicioso (muito!). A da Praça da Liberdade é, sem dúvida, a mais bonita e a que eu acabo mais frequentando. Super descolada, muitas vezes é o meu programa de sexta à noite com os amigos. A do Cruzeiro, é mais intimista, mas tão gostosa quanto às outras duas.

pizza-sur-levindo-lopes-bh
Pizza Sur Savassi – BH

Agora falando de cardápio, as empanadas merecem destaque. São gostosas, de massa delicada e do tamanho ideal para petiscar. As pizzas são bem gostosas, mas não são as melhores da cidade (sorry!). A carta de vinhos é honesta e o atendimento sempre muito bom.

Ou seja, apesar de não ter a melhor pizza, o Pizza Sur é uma das minhas pizzarias preferidas em Belo Horizonte.

Parada do Cardoso (Rua Dores do Indaiá, 409 – Santa Tereza)
Antes de existir qualquer pizza gourmet, a Parada do Cardoso era unanimidade entre os amantes da redonda. A massa é normal, um pouco alta (mas não tanto quanto a da Pizza Hut), e muito bem recheada. Os sabores são tão diversos quanto à sua imaginação, mas, mesmo com tantas opções, acabo sempre pedindo a minha preferida: Estrada Real – carne seca com catupiry e cebolinha. Uma delícia!

O espaço é simples e conta com três ambientes – calçada, com mesas de plástico e clima de boteco; primeiro andar mais romanticozinho, perto do forno a lenha; e o segundo andar, mas amplo e bem bonitinho.

As pizzas custam em torno de R$ 50, mas são bem grandes – o preço é justíssimo.

Localizada em um dos pontos mais tradicionais e movimentado do bairro boêmio de Santa Tereza, a Parada do Cardoso é uma ótima pedida para dias de semana e finais de semana, afinal, a cerveja é sempre gelada e os garçons atenciosos.

Funcionamento:
2ª a 4ª: das 18h às 00h
5ª a Sábado: das 18h às 2h
Domingo: das 12h às 00h

Pomodori
As muitas unidades do Pomodori são uma mão na roda. Com um esquema de venda de fatias, essa pizzaria sempre pode te salvar, seja na hora do almoço ou no domingo à noite. Não é um lugar para ficar por horas, a ideia aqui é mais ser uma espécie de fast food com pizza de qualidade. Cada dia, seis sabores estão disponíveis em fatias. Mas vc pode pedir pizzas inteiras, se preferir. O preço é justo – R$ 9,00 por fatia – por uma pizza gostosa e farta (os pedaços são beeem grandes).

Quer dar alma às sua viagens? Clique aqui e descubra como. 

Restaurantes para Esbanjar – Belo Horizonte

Glouton ( Rua Bárbara Heliodora 59, Lourdes )
Considerado o melhor restaurante de Belo Horizonte, segundo o Trip Advisor, o Glouton é realmente muito bom, mas ocupa o segundo lugar no meu coração. Porém, adoro trair meu verdadeiro amor com esse novinho.

glouton_1

Localizado no Lourdes, em uma região cheia de bons restaurantes e barzinhos mais “chiques”, o Glouton mantém o nível da área. A casa é lindinha e a decoração classicamente elegante. Os garçons são muito atenciosos e bem treinados – levei um amigo meu italiano ao Glouton e ele ficou feliz em ver que sabiam abrir o vinho da maneira correta, sem rodar a garrafa.

O cardápio é enxuto e bem elaborado. Todos os pratos têm composições complexas e muito gostosas, mas que acabam limitando quem é mais chato para comer. De entrada, pedimos o carpaccio com suco de laranja que estava gostoso. Mas o petisco preferido foi, sem dúvida, a mini burrata, que vinha montada sobre torradinhas. Coisa mais linda e gostosa da vida.

De prato principal, cada um teve uma escolha diferente – filé de angus com batatas ao murro; capeletti de abóbora com camarão; arraia; e leitão. Todos estavam gostosos, com destaque para o leitão e para a arraia (é forte, mas é bem gostoso!). Os pratos não são muuuito fartos, mas são suficientes e lindos. As sobremesas deixaram um pouco a desejar, por isso, não deu para fechar com chave de ouro, mas tudo bem.

Leitão - Glouton
Leitão – Glouton

Os preços são altos (pratos principais custam em média R$ 70). O restaurante possui manobrista e é altamente recomendável fazer reserva antes.

Funcionamento:
3ª a 5ª: das 19h30 às 00h
6ª: das 12h às 15h e das 19h30 à 1h
Sábado: das 13h às 17h e das 19h30 à 1h
Domingo: das 13h às 17h

Patuscada (Av. Bernardo Monteiro, 1548 – Funcionários)
Eis o campeão do meu coração. Clássico, tradicional e sempre bom! Adoro a comida e o ambiente do Patuscada, sem contar que o atendimento é sempre impecável. É verdade que tanta excelência tem um preço um pouco alto (pratos principais variam de R$ 51 a R$ 120), é verdade, mas nada que o meu Vale Refeição não resolva – sim, eles aceitam Alelo!

patuscada

O prato com melhor custo benefício é, sem dúvida o Nhoque Trufado com Iscas de Filet, delicioso e com preço mais acessível (R$ 51). O Steak ao Poivre Vert tradicional com Batata Dauphinoise Trufada também é uma delícia – carne alta, no ponto e trufas <3. Todos os pratos são servidos com glamour. Eles vêm tampados e são abertos todos juntos. Tudo muito dramático e chique

Apesar de um cardápio com várias opções, todos os dias o chef faz sugestões além do menu. Não deixe de perguntar ao garçom! Aos sábados, é servida feijoada completa com direito a caldinho de feijão temperado de entrada e couve feita na hora.

Funcionamento:
2ª a 4ª: a partir das 11h30. Jantares mediante consulta pelo telefone.
5ª a Sábado: a partir das 11h30
Domingo: das 11h30 às 18h

Alma Chef (Rua Curitiba, 2081 – Lourdes)
Localizado no burburinho do bairro de Lourdes, o Alma Chef é uma mistura de restaurante (muito bom) e escola – eles promovem cursos na cozinha do segundo andar!

De entrada pedimos uma burrata que estava muito gostosa. O pão, quentinho, vinha em uma espécie de tábua rústica. Um charme!

A proposta do almoço é muito legal: você escolhe a carne e os acompanhamentos são voltante, como um rodízio de salada, arroz, farofa, legumes, batatas e tudo mais que você puder imaginar. A carne, alta, veio no ponto e estava muito saborosa. Minha mãe, que não é lá muito carnívora, optou por uma paella que estava, simplesmente, divina! O prato espanhol, super bem servido, vem em uma panelinha de pedra que dá um toque especial e mantém a grande quantidade de comida sempre quente.

Com tanta comida e acompanhamentos, acabamos pedindo duas sobremesas para três. Foi mais que suficiente, mas deixou vontade de voltar, ser mais controlada, e devorar um brownie sozinha.

Os preços são altos, mas estão na média dos restaurantes desse tipo – prato principal sai por cerca de R$ 65.

La Victoria (Rua Hudson, 675 – Jardim Canadá – Nova Lima)
Tenho um relacionamento passional com essa parrilla uruguaia. Fui pedida em namoro depois de jantar ali e fui comemorar nosso 1º ano lá. Ou seja, é difícil dissociar o La Victoria de boas lembranças.

O couvert de pães e manteiga é muito gostoso e ajuda a distrair enquanto se escolhe os pratos. De entrada, sempre pedimos o carpaccio, mas existem outras opções que parecem interessantes (mas não tanto quanto o carpaccio para nós). Meu namorado sempre pede carne – da primeira vez foi um chorizo e, na segunda, filé mignon – estava gostoso mas um pouco sem tempero. De acompanhamento, arroz biro-biro, que vem com bacon, ervilha, queijo e batata palha, e batatas fritas – deliciosas.

la-victoria-bh-2

Na minha primeira vez, pedi Spaghetti com Frutos do Mar alla Pirata, que estava sensacional. De sobremesa, sempre o Cornetto Crocante ao Creme de Mascarpone, Frutas do Bosque e Sorvete de Baunilha. Sempre!

O ambiente é lindo, chique e grande, tanto que muitas festas de casamento são realizadas ali. Por estar um pouco afastado da cidade, é sempre frio. Os aquecedores no salão e o calor da parrilla ajudam a aumentar a temperatura.

la-victoria-bh

É um restaurante caro, mesmo quando não se bebe muito. Só a carne, custa R$ 65, sem contar os acompanhamentos. Um jantar fica em torno de R$ 330 por casal.

Anella (Av. Guilhermino de Oliveira, 325 – Santa Amélia)
Esse é considerado o melhor restaurante italiano, segundo o Trip Advisor, mas para mim está apenas no top 10. O ambiente é super charmoso e os garçons são extremamente simpáticos e eficientes! Mas a comida – pelo menos o prato que pedimos – deixou um pouco a desejar.

A entrada elevou nosso nível de expectativa, já que o carpaccio estava delicioso – pontos extras para as torradas, que parecem envolvidas em queijo e vêm quentinhas. Como prato principal, pedimos o tradicional espaguete ao sugo com almôndegas. A massa, artesanal, estava incrível e muito bem acompanhada de um molho caseiro. Porém, as polpetas estava bem secas, o que acabou nos frustrando, pois eram a estrela principal do prato.

Ainda vou voltar lá para pedir outro prato e tentar ter uma melhor experiência. Afinal, um lugar tão lindinho e com pessoas tão legais merece uma segunda chance.

Funcionamento:
3ª e 5ª: das 18h às 00h
6ª: das 18h à 1h
Sábado: das 12h à 1h
Domingo: das 12h às 22h

Maurizio Gallo (Rua dos Aimorés, 2305 – Lourdes)
Eu tinha muita vontade de ir nesse restaurante, pois o primeiro endereço dele é uma cantina lindinha na Av. Nossa Senhora do Carmo. Porém, depois que fui, decepção me define. Escolhemos ir na nova filial porque era mais fácil de parar e tal. O dono, Maurizio, estava lá e foi muito simpático. Ponto!

Pedimos bruschettas mistas de entrada – a porção vem com cinco, cada uma com um recheio – e fomos muito felizes. Crocantes, com muito recheio e saborosas. Como prato principal, seguimos a orientação do chef e pedimos uma massa com filé ao pesto. Ô erro! A carne estava longe de ser filé, vinha picadinha e não tinha nada de pesto. A massa estava gostosa, mas nada que se diferencie do que eu faço em casa. Conclusão: apesar de ser mais baratos que os restaurantes dessa categoria, não vale o dinheiro gasto – os pratos custam em média R$ 60.

Funcionamento:
3ª a Sábado: das 8h30 às 00h
Domingo e 2ª: das 8h30 às 18h

Restaurante Self-Service – Belo Horizonte

Casa Amora (Rua Paraíba, 941 – Savassi)
Esse é um daqueles restaurantes para se comer rápido, mas com a sensação de que tudo foi feito com calma e cuidado. Não é um self-service comum – existem poucas opções (cinco tipos de salada, quatro acompanhamentos quentes e três opções de carne) e não é você quem se serve. O preço varia de acordo com a opção de carne e quantidade de acompanhamentos (R$ 20 a R$ 28. As donas são nutricionistas e as opções são muito saborosas e equilibradas. Tudo é saudável, mas sem ser sem graça. Apesar de ser “estilo self-service”, vale ir na Casa Amora mesmo com tempo e aos sábados. O ambiente é lindo e super descolado!

Funcionamento:
2ª a 6ª: das 11h30 às 15h
Sábado: das 12h às 15h30

Casa Amora - BH
Casa Amora – BH

Verdinho (Avenida Cônsul Antônio Cadar, 122 – São Bento)
O Verdinho é um clássico, seja para o almoço de terça ou pizza de domingo à noite. O buffet possui muitas variedades, inclusive opções light e vegetarianas. Além disso, têm buffet de japonês, pizza no forno à lenha e opções à la carte. Tudo muito gostoso, mas um pouco carinho – o quilo custa R$ 69,90. As caipivodcas são deliciosas e o chopp sempre gelado – no buffet, tem várias opções de petisco para acompanhar.

Funcionamento:
Todos os dias: a partir das 11h

Restaurante do Ano (Rua Levindo Lopes, 158 – Savassi)
Quando eu trabalhava na Savassi, almoçava quase todos os dias no 2015, 2016… (o nome do restaurante muda todo ano!). O preço é um pouco alto – R$ 69,90 / Kg – mas a qualidade compensa. Sempre tem uma opção de peixe – tilápia e/ou salmão -, frango, carnes, massa, legumes e salada alto nível, com palmito, amêndoas, frutas e outras frescurinhas deliciosas. À noite, funciona à la carte com uma boa carte de drinks.

Funcionamento:
2ª a 4ª: das 12h às 16h
5ª a Sábado: das 12h às 16h e das 18h às 1h30
Domingo: das 12h às 17h

restaurante-ano-bh
Restaurante do Ano – BH

Projeto Sabor (Av. Cônsul Cadar, 127 – São Bento)
O Projeto Sabor está entre meus restaurantes self-services preferido em BH. São muitas opções de salada (muitas mesmo); carne, frango e peixe na chapa – além de legumes -; e opções quentes e mais gordinhas, como massa, quiches e risoto. O preço é alto (R$ 69,90 / Kg), ma é condizente com a região e com a qualidade dos ingredientes. Além disso, o Projeto Sabor possui um bom cardápio à la carte, com saladas, sanduíches, pratos executivos e açaí – fica lotado no domingo à noite. As opções de sucos naturais também impressionam!

Funcionamento:
Todos os dias: 11h30 às 23h

Vá além do pão de queijo em sua visita a BH. Veja como o Por Ceca e Meca pode te ajudar a personalizar sua viagem!

Restaurantes de Comida Mineira – Belo Horizonte

Xapuri (R. Mandacaru, 260 – Pampulha)
Há anos, o Restaurante Xapuri é considerado o melhor em comida mineira de BH. Não é por menos. O espaço é lindo, super bem cuidado, e a comida digna da melhor culinária do Brasil (pelo menos, na minha opinião). Tudo o que comi lá foi muito gostoso, mesmo. Pesado, é verdade, mas qual comida mineira não é? O que mais gosto do Xapuri é a quantidade de opções – existe mil possibilidades de petiscos e de prato principal, além das sobremesas que mais amo – doce de leite, goiabada, etc. É caro, mas um caro que vale a pena!

Funcionamento:
3ª a Sábado: das 12h às 23h
Domingo e Feriados: das 12h às 18h

Paladino (Av. Gildo Macedo Lacerda, 300 – Pampulha)
Opção mais e conta para quem quer comer comida mineira em um ambiente que lembra uma fazenda. O espaço é bem grande e sempre tem fila. Mas, enquanto se espera pela mesa, dá para ir tomando uma cervejinha ou bebendo uma pinga.

paladino-bh

A comida é gostosa (ainda prefiro o Xapuri), mas achei o cardápio com poucas opções e não servem pratos clássicos, como feijão tropeiro e tutu. Minha impressão é que é um restaurante comum com cara de mineiro.

Funcionamento:
3ª: das 11h30 às 15h
4ª e 5ª: das 11h30 às 0h
6ª e Sábado: das 11h30 à 1h
Domingos e Feriados: das 11h30 às 17h

Restaurantes com melhor Custo x Benefício- Belo Horizonte

Mercearia 130
Gosto tanto desse bar/restaurante, que fiz um post inteirinho dedicado a ele! Clique aqui e leia.

mercearia-130

Casa dos Contos (Rua Rio Grande do Norte, 1.065 – Savassi)
É clássico, é bem servido e a comida é perfeita para dias de ressaca ou gordice, pois é pesadinha. O atendimento é um pouco demorado, mas o sabor e quantidade da comida compensam. O preço é bem em conta (os pratos custam em média, R$ 35 por pessoa) e o restaurante é um dos poucos que fica aberto até tarde.

Filé Surprise - Casa dos Contos
Filé Surprise – Casa dos Contos

Sugestão: Bolinho de bacalhau, Filé Surprise (gigante!!!), e Filé à moda.

Funcionamento:
2ª – das 11h30 às 15h e das 18h às 2h;
3ª a 5ª: das 11h30 às 2h;
6ª e Sábado: das 11h30 às 3h;
Domingo: das 11h30 à 1h.

Cantina do Lucas (Av. Augusto de Lima, 233, loja 18, Ed. Maletta – Centro)
Esse é um dos restaurantes mais antigos de Belo Horizonte. Do mesmo dono do Casa dos Contos, a comida da Cantina do Lucas segue a mesma linha: gostosa, farta e em conta. A vantagem em cima da filial é a localização – o Edifício Maletta é um dos prédios clássicos e descolados de BH – e o atendimento, que acaba sendo mais rápido que o da Savassi.

Funcionamento:
2ª a 5ª: das 11h30 às 2h;
6ª e Sábado: das 11h30 às 3h;
Domingo: das 11h30 à 1h.

Casa Cheia (Rua Cláudio Manoel, 784 – Savassi)
Atualmente, o Casa Cheia tem sido minha opção para o almoço de domingo. O preço é bom (prato comercial custa em média R$ 25), atendimento rápido e comida bem gostosa.

Prato Comercial com bife de boi
Prato Comercial com bife de boi

É verdade que o forte desse restaurante são os petiscos e comida de buteco, tanto que já foi campeão do Festival por três vezes. Mas, como nem só de boemia vive o homem, o PF é muito honesto. A unidade tradicional é no Mercado Central, mas o endereço da Savassi acabou me conquistando pela praticidade.

Funcionamento:
2ª a Sábado: das 11h às 23:30;
Domingo: das 11h às 17h.

Casa Cheia Savassi - BH
Casa Cheia Savassi – BH

Macau (Av. Olegário Maciel, 1767 – Lourdes)
Tradição não vem de graça! O Macau é, sem dúvida, o melhor restaurante chinês de Belo Horizonte. O rolinho primavera é um patrimônio, grande e crocantemente delicioso. Não deixe de pedir. O atendimento é eficiente, as porções são bem servidas e o preço é camarada – cerca de R$ 50 por pessoa, com refrigerante e sobremesa. Costuma ter fila de espera (rápida), mas vale a pena esperar. Acredite me mim.

Funcionamento:
3ª a 5ª: das 11h30 às 14h30 e das 18h às 23h30
6ª: das 11h30 às 16h30 e das 18h às 24h
Domingo: das 11h30 às 16h30 e das 19h às 23h
Feriados: das 11h30 às 16h e das 18h30 às 23h

Café com Letras (Rua Antônio de Albuquerque, 781 – Savassi)
É, sem dúvida, um dos restaurantes/café/bar mais charmoso de BH. Na unidade da Savassi (também está no CCBB), as mesinhas do lado de dentro te transportam para as livrarias europeias e os lugares na calçada te fazem lembrar que você está em (um dos melhores pontos de) BH.

cafe-letras-bh

O cardápio é sempre muito gostoso, tanto para o almoço quanto para jantar ou fazer o aperitivo. Os preços são ok (principalmente o menu executivo do almoço – R$ 25). Só o atendimento e rapidez que deixam a desejar. Se está com pressa, é melhor escolher outro lugar para comer.

Não aceita Sodexo.

Funcionamento:
2ª a 5ª: das 12h às 00h
6ª e Sábado: das 12h à 1h
Domingo: das 17h às 23h

Quer ir além do arroz com feijão em suas viagens? Chega aqui e descubra os serviços que o Por Ceca e Meca oferece.

Onde Comer – Foz do Iguaçu

Famiglia Maran Confeitaria e Panificadora (R. Almirante Barroso, 1968)
Essa padaria foi nossa salvadora! Como fica aberta (mesmo) 24 horas por dia, conseguimos jantar às 2h da manhã, quando chegamos a Foz do Iguaçu. Além de sanduíches, doces e salgados, o local tem um buffet de sopas (somente durante o inverno) e serve pratos prontos a qualquer hora do dia e da noite. Optamos por um PF padrão – arroz, feijão, farofa, batata frita e bife – o de frango estava mais gostoso que o de boi. Os pratos são muito fartos e vêm com bastante carne (no meu prato tinham quatro bifes de peito de frango). A comida é gostosinha, mas, para às 2h, é simplesmente deliciosa. Rs…

Aberta 24h
Preço médio dos pratos: R$ 25
Aceita Alelo

City Bier (Rua Quintino Bocaiuva, 1088)
É um boteco com mesas em local coberto. O que, para mim, é uma coisa boa. Porém, o serviço do lugar deixou muitíssimo a desejar. Chegamos depois do passeio às cataratas com muita fome. No balcão tinha um buffet livre de feijoada que parecia estar ali desde cedo, sob o sol, por isso, achamos melhor não arriscar um piriri gangorra. Pedimos um filé na chapa, acompanhado de arroz, mandioca, vinagrete e farofa (R$ 46); e minha mãe escolheu o PF de filé (R$ 25). A comida estava gostosinha, farta e adequada ao preço. Tudo ok se não fosse o humor da garçonete, que nos jogou os pratos e não teve nenhuma boa vontade em nos atender. Conclusão: ninguém é obrigado a ser mal atendido, principalmente nas férias, por isso, vá a outro restaurante. Existem milhares como o City Bier por Foz do Iguaçu.

2ª a sábado: 16h às 00h
Aceita Alelo

La Máfia (Rua Watslaf Nieradka, 195)
Simplesmente o melhor restaurante da viagem (e acredito que de Foz do Iguaçu). O lugar é lindinho, com uma decoração mega descolada. Como não tínhamos reserva, tivemos que esperar um pouquinho no sofá, na entrada. Mas tudo valendo a pena.

restaurante-la-mafia-foz-iguacu

Na frente do local, o próprio restaurante tem uma adega onde você pode ir e escolher o vinho para acompanhar o jantar ou simplesmente comprar e levar para casa. Por isso, a carta tem opções de todos os preços, de R$ 40 a R$ 200. Um luxo!

De entrada, pedimos bruschettas, que estavam deliciosas e vieram rápido. Como o restaurante estava cheio, decidimos não demorar muito para fazer os pedidos – grande insight, porque mesmo assim, demorou uns 50 minutos. Minha mãe e meu namorado foram de nhoque à bolonhesa (R$ 40) e eu de tagliatelle ao ragu (R$ 45). Essa foi a melhor massa que comi na vida! Caseira, fininha e no ponto certo de cozimento. Incrível, incrível e incrível. O nhoque também estava bem gostoso, leve, o que é difícil para o prato. Infelizmente não sobrou espaço para a sobremesa, mas as que vi passando estavam muito bonitas!

Tenho que ressaltar também o excelente atendimento que recebemos. Todos os garçons e garçonetes muito atenciosos, simpáticos e prontos a ajudar. Ponto extra.

Conclusão: se for a Foz do Iguaçu, vá ao restaurante La Máfia!

2ª a sábado: 19h às 23h30
(45) 3572-1015

A Piacere (Avenida Cordoba, 125 – Puerto Iguazu, Argentina)
Esse restaurante fica na rua dos restaurantes – todos os estabelecimentos mais bem avaliados no Trip Advisor estão ali. Dentre tantas opções, acabamos escolhendo o A Piacere porque o ambiente era muito gostoso – climinha de verão europeu na parte externa e restaurante chique no salão. Ficamos na parte de dentro, pois ficamos com medo de esfriar muito.

a-piacere-restaurante-puerto-iguazu

A comida é deliciosa! De entrada fomos de empanadas, que foram servidas na versão frita – gosto mais da assada, mas o recheio estava mara! Como prato principal, meu namorado, que nunca tinha comido uma parrilla argentina de verdade, escolheu a carne, que veio acompanhada de arroz, farofa, salada e batata frita. Tenho que admitir que, eu que não sou muito fã de parrilla, me arrependi de não ter seguido-o na escolha do prato. A carne estava saborosíssima, temperada (o que é raro), macia e no ponto exato.

a-piacere-puerto-iguazu

Eu e minha mãe fomos de filé mignon ao molho de Malbec com purê de batata trufado (que não tinha nada de trufado, mas estava bem gostoso). A carne, para mim, estava um pouco bem passada demais, mas muito macia e gostosa, mas ainda sim, preferi o chorizo.

a-piacere-restaurante-puerto-iguazu

De sobremesa, meiamos um petit gâteau que estava mais para um brownie do que para o famoso bolinho francês. Deixaram cozinhar demais e o recheio não estava cremoso como deveria. Mas gostoso ainda assim.

O único ponto negativo do restaurante é o tempo de espera pelos pratos. O serviço é muito lento! Esperamos quase meia hora pela sobremesa, depois de terem demorado quase uma hora até trazerem os pratos.

Todos os dias: 12h às 23h45
Média de R$ 50 reais por pessoa
Aceita cartão

Onde Comer – Gramado e Canela

GRAMADO:

Josephina (Rua Pedro Benetti, 22 – Centro, Gramado)
Bistrô/padaria super charmoso, localizado na rua lateral da igreja (um pouco depois d’O Pasteleiro e da Hering). Boas opções de risoto e carne.

restaurante-josephine-gramado

Comemos um risoto de alho poró, tomate cereja e brie (gostoso, mas um pouco sem gosto) e o peixe com purê de baroa (excelente opção para amenizar o peso na consciência dos milhões de chocolates ingeridos ao longo do dia). Sobremesas deliciosas, boa carta de vinho e garçons super agradáveis. Os preços são bons (pratos por 30,00 / 40,00). Não deixe de experimentar!

Funcionamento: terça a domingo: 11h30 às 23h

Ristorante Tomasini (Av. das Hortênsias, 1189 Bairro Centro – Gramado)
Esse restaurante foi uma boa surpresa! No nosso último jantar, não queríamos repetir o Josephine Café pela terceira vez, então decidimos caminhar e avaliar os restaurantes. Acabamos entrando no Tomasini (ainda bem!). Os pratos são super bem servidos (um dá para dois tranquilamente) e deliciosos. Risoto de camarão muito bom – vem em uma panelinha de pedra – e carne com arroz e batatas muuuuito macia e saborosa. O único problema é sair defumada por causa do fondue dos outros clientes.

restaurante-gramado

Mestre Cuca Bistrô (Av. das Hortênsias, 877)
Deixamos para ir no último dia e que arrependimento. Pedimos salada com salmão e outra com frango. As duas estavam muito ruins! O peixe não era fresco e o frango veio cru. Se erraram em pratos tão simples, não quero nem imaginar como são os pratos mais elaborados!

Funcionamento: todos os dias das 7h às 23h

CANELA:

Empório Canela (Rua Felisberto Soares, 258 – Centro de Canela)
Este café e bistrô tem o mesmo estilo do Josephina, localizado no centrinho de Canela, bem pertinho da Catedral de Pedra. É uma casa meio avermelhada ao lado da Caracol Chocolates. No centro do Empório há uma pequena livraria e existe ainda uma varanda super delícia para quem quer beber e comer enquanto vê o movimento da cidade. O cardápio é bem variado e cabe em todos os bolsos – entradas e petiscos que custam entre R$ 10,90 e R$ 28,90 e os pratos individuais, com massas, risotos, peixes ou carnes, variam de R$ 42,90 a R$ 254,90. O restaurante possui ainda uma carta de cervejas artesanais bem completa.

Quer ir além do arroz com feijão nas suas viagens? Converse com a gente e descubra as mil possibilidades que o mundo te oferece (e que cabem no seu bolso).

 

Rodízio de Fondue – Gramado

Maximilia Fondue & À La Carte (Av. das Hortencias, 2174 Térreo – Centro)
Sequência de fondue bem gostosa e com excelente custo beneficio (no próprio site deles você consegue cupom de desconto). Fondue de queijo ok, acompanhado de pão, batata e brócolis que, surpreendentemente, fica bom! Fondue de carne muito bom, com opção de frango, boi e porco e 12 molhos (4 agridoces). Fondue de chocolate delicioso! Os garçons são muito simpáticos e o lugar é super aconchegante. O único problema é o cheiro de fritura que te acompanha para sempre (roupas devem ir direto para uma sacola) e o peso no estômago, é claro!

Quer ir além do arroz com feijão nas suas viagens? Converse com a gente e descubra as mil possibilidades que o mundo te oferece (e que cabem no seu bolso).

Onde Comer – San Andres

Perro Caliente
Rede de hamburguesa de trailler. Simplesmente horrível! A carne é seca, o molho tem um gosto forte e o atendimento é péssimo e mal-educado. Acabamos comendo aí, pois era a única opção aberta quando chegamos, já que era muito tarde. Mas, sinceramente, era preferível ter comido chips.

Hamburguesa = COP 9.000
Água e Cerveja Miller = COP 2.000 cada

Cafe Cafe (Avenida Colombia)

Cafe Cafe - San Andres
Cafe Cafe – San Andres

Espécie de café, pizzaria e restaurante que fica centro de San Andres, pertinho da praia. A decoração é de lanchonete americana dos anos 50 e a comida é bem gostosa. Pedimos uma massa a bolonhesa (COP 21.500 grande) e outra a Marinara (COP 21.500 Júnior), com frutos do mar. O local é uma excelente opção para os dias em que é preciso almoçar mais tarde, já que fica aberto direto, até às 23h.

Beer Station (Avenida Colombia #1a-16 local 102)
O que realmente vale aqui é a vista. O bar fica em um pier, praticamente sobre o mar da Playa Peatonal. A cerveja é gelada e oferecem muuuuitas opções de drinks.

Aguila = COP 4.900
Daiquiri = COP 12.900

Portobelo (Avenida Colombia 5A 69)
Esse restaurante embaixo do hotel de mesmo nome é uma boa opção para quem não tem café da manhã incluído na diária. Fomos lá todos os dias que ficamos em San Andres, pois o cardápio de café da manhã é completo e o preço é bom. Sem contar que é a cara da riqueza tomar café de frente para o mar do caribe, né? Ryca!

Café Americano (suco, café ou chocolate quente, pães, arepa e ovos mexidos) = COP 15.000

Miss Celia (Avenida newball, em frente ao Club Nautico)

Miss Celia - San Andres
Miss Celia – San Andres

Em uma casa de madeira e palha, o restaurante é super acolhedor. Os pratos são bem gostosos, muito fartos, baratos e servidos rápidos. Ou seja, uma excelente opção para o dia de dar a volta na ilha, já que no fim de tarde todos estão famintos. O atendimento é super solícito, porém, a conta demorou muito (mesmo) para chegar.

Peixe frito, arroz, salada e pláton = COP 30.000

Missi Celia - San Andres
Missi Celia – San Andres

La Regatta (Avenida Newball, ao lado do porto)
Esse é, sem dúvida, o melhor e mais bonito restaurante da cidade. A casa fica em cima do mar e das mesas próximas às janelas é possível sentir a brisa do mar e ver arraias nadando. O atendimento é bom, educado e rápido. O wi-fi só funciona de verdade na entrada e perto dos banheiros. Mas é até melhor, pois assim você não se distrai com outra coisa que não seja a decoração e o mar. O valor dos pratos principais varia de COP 30.000 a COP 50.000 (a lagosta custa COP 90.000).

La Regatta - San Andres
La Regatta – San Andres

O couvert é bem gostoso, com frutas, pão e molhinho de limão. De entrada, pedimos uma salada super gostosa. Como principal, pedimos um peixe empanado em parmesão com salada (gostoso) e um peixe ao molho de camarão com arroz (muito gostoso). De sobremesa, encaramos um brownie com sorvete simplesmente delicioso. De bebida, pedimos cerveja (fria) e mojito (incrível!).

La Regatta - San Andres
La Regatta – San Andres

Se for a San Andres, não deixe de comer no La Regatta. Não se esqueça de reservar, se não você, provavelmente, vai voltar frustrado para casa.

Aquarius (Avenida Colombia 5A, ao lado do Portobelo)
Com mesas na calçada, de frente para a praia, esse restaurante é a tradução perfeita da expressão “comer com vista”. Para o nível de San Andres, o serviço é até rápido – o prato demorou cerca de 20 minutos. A comida é gostosa, apesar de ser bem carinha (é o preço a ser pago pela vista).

Aquarius - San Andres
Aquarius – San Andres

Peixe ao molho de camarão gratinado, salada, arroz de côco queimado e batata frita = COP 50.000
Peixe empanado, salada, arroz de côco queimado e batata frita = COP 35.000

Presto
Essa rede de fast food colombiana não é tão fast quanto deveria e não tão barata. Mas, no dia de irmos embora, foi a melhor escolha, já que o Subway estava lotado e não queríamos correr o risco de perder o voo graças ao atendimento lento típico de San Andres. O hambúrguer é gostosinho e a batata frita é igual ao do Mc Donald’s. Ou seja, com (média) pressa, vale o Presto.

Cheeseburguer, batata frita e refrigerante = COP 21.000
Hambúrguer = COP 14.000

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você esteja.