Onde Ficar – Cartagena

Com certeza, é muito melhor ficar em um (bom) hotel no centro, onde você consegue fazer tudo a pé e ainda pode dar uma cochilada no fim da tarde, voltar para o quarto se tiver dor de barriga ou simplesmente olhar pela janela e ver se a fila de espera do restaurante está muito grande. Mas, como sou alérgica (e pobre), acabei optando por ficar fora da cidade murada, em Marbella. Fiquei hospedada no Ibis, que fica de frente para a praia – não que a praia de Cartagena seja bonita, mas tem lá seus atrativos vista de cima, em um cômodo com ar condicionado.

Vista do hotel - Cartagena
Vista do hotel – Cartagena

O hotel é novinho (foi inaugurado em julho de 2015), barato (COP 179.000 a diária para o casal) e mantém o padrão Ibis de ser: quartos simples e limpos, colchão box, banheiro pequeno, café da manhã gostosinho (a granola é divina) e pago à parte (COP 16.000 por dia/pessoa), sem frigobar e serviço de quarto, mas o bar, que tem bebidas e opções de comida congelada, funciona 24 horas (sempre tomávamos a saideira lá). O táxi até o centro custava COP 7.000, então, a diferença de preço, mesmo considerando o transporte, compensou.

Outra opção para quem não “quer” ficar na cidade murada é o bairro de Bocagrande. Moderno, abriga excelentes hotéis de grandes redes internacionais e possui boas opções de restaurantes e shoppings. A praia de Bocagrande é considerada a mais bonita de Cartagena, mas se parece com as praias do Espírito Santo (tire suas próprias conclusões). O único problema de se hospedar aqui é perder todo o charme da “verdadeira Cartagena”, já que você não precisa sair do bairro para comer, comprar ou se divertir (existem muitos cassinos por lá).

Praia de Bocagrande - Cartagena
Praia de Bocagrande – Cartagena

Uma solução meio-termo é o bairro de Getsemani, que fica em frente às muralhas e é bem mais barato. Existem bons hotéis na região que acabam saindo mais em conta por estarem fora do perímetro oficial do centro.

Mas se quer minha opinião real, invista um pouco mais, fique na cidade murada e, de preferência, em um hotel com piscina!

Quer mais do que apenas saber sobre os lugares? Vem conversar e descobrir que o mundo é o seu!

Publicidade

Onde Ficar – Ouro Preto

Repúblicas
Para se hospedar nas repúblicas, é preciso conhecer algum morador para que ele te receba. A maioria das repúblicas federais são masculinas – 51 -, mas que aceitam receber mulheres. As condições dos quartos costumam ser meio precárias e nem sempre você vai encontrar sua cama desocupada. Porém, não existe melhor opção para quem quer se divertir, ser bem tratado e entrar no clima de Ouro Preto. Muitas festas são “exclusivas” para alunos ou acontecem dentro das repúblicas. Por isso, ser hóspede de alguma república é passaporte para a diversão e para o melhor lado de OP.

Você tem a opção de escolher entre as Repúblicas do Campus, que ficam próximas à UFOP – ou seja, longe do Centro, mas dentro de vilas só de moradias estudantis – e as Repúblicas do Centro, mais antigas e próximas à Rua Direita.

Em datas normais, fora carnaval e festas, a maioria das repúblicas não cobram pela hospedagem. Mas fazer uma gracinha é sempre uma atitude cortês.

Pousada Chico Anjo (Rua Passa Dez, s/n – Passa Dez)
A 2,5 Km da Praça Tiradentes, no Centro de Ouro Preto, essa pousada é simplesmente delícia e ótima para quem está indo com filhos ou para namorar.

A entrada parece um pouco estranha em um primeiro momento. É como se você tivesse entrando em uma fazenda e, de repente, chega aos quartos. A entrada para a pousada, na BR 356, fica à esquerda, antes de chegar no centro da cidade – tem placas no local.

entrada-pousada-chico-anjo
Pousada Chico Anjo – Ouro Preto

As suítes são chalés com sala, cozinha – algumas têm fogão e microondas – quarto com cama de casal e de solteiro e banheiro. Tudo muito bonito, sem luxo, mas muito bem arrumado e limpo. As toalhas estavam muito cheirosas, o colchão é box e o chuveiro é elétrico – você não precisa passar por aquele drama de esperar a água esquentar (quando esquenta).

chale-pousada-chico-anjo
Suíte da Pousada Chico Anjo – Ouro Preto

O café da manhã é um show a parte: servido no quarto, com tudo gostoso e quentinho. Pão de queijo, pão francês, mussarela, queijo minas, presunto, iogurte, salada de frutas, iogurte, bolo, geleia, biscoito, suco, leite e café.

cafe-pousada-chico-anjoO valor da diária é super em conta para o que oferecem – R$ 219,00 apartamento duplo superior (junho 2016).

Se você vai de carro para Ouro Preto, a Pousada Chico Anjo é uma excelente escolha – possui estacionamento e wi-fi gratuitos.

Precisa de ajudar para planejar sua viagem? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você esteja.

Onde Ficar – Rio de Janeiro

Por motivo de pobreza, sempre que vou ao Rio me hospedo na casa de amigos ou em hostels. O preço cobrado pela maioria dos hotéis inviabiliza qualquer possibilidade de ostentação para seres com um pouco menos de condição que o Eike Batista.

Seguem as minhas indicações:

Injoy Hostel (Rua Estácio Coimbra, 80 – Botafogo)
Esse é, sem dúvida, meu lugar preferido de ficar. Possui todas as comodidades de hotel – banheiro privativo, toalha, serviço de quarto e café da manhã -, com os benefícios de hostel – gente jovem, passeios, decoração descolada, computador e wifi liberados – com preço super em conta – R$ 250 para dois. Prefiro chamar o lugar de Hotel Butique (foi esse o nome que falei para minha mãe e consegui convencê-la – ela adorou!), já que o conceito é mais ou menos esse. Existe quarto compartilhado, mas nunca utilizei essa modalidade.

Pontos positivos: Localização (fica pertinho do metrô e próximo a vários restaurantes, bares e lojinhas); Segurança (além da recepção funcionar 24h, o hostel fica em uma espécie de vila, com cancela); Serviços (o café da manhã é simples e bem gostoso, possui serviço de quarto – na praia acho isso importante -, ar condicionado e o staff é sempre bem disposto e solícito).

Sobre a equipe, preciso contar um caso que comprova toda fofura da galera. Na primeira vez que fiquei no Injoy, eu e uma amiga fizemos check-in viradas, afinal era dia 1º de janeiro e tínhamos viajado direto da festa. O check-in era só às 14h, mas o café já estava servido e o cheiro do pão de queijo estava incrível. Não é que a recepcionista nos convidou para lanchar? Se isso não é amor, não sei o que significa essa palavra.

Pontos negativos: o quarto, por ficar fechado, tem um pouco de cheiro de mofo; travesseiro muito baixo.

Quarto triplo, Injoy Hostel – Rio de Janeiro

Harmonia (Rua Barão da Torre 175, casa 18 – Ipanema)
Esse hostel fica numa vila mesmo, no meio de Ipanema, ali pertinho da Farm de Amoedo. O lugar é pequeninho – uma sala pequena com sofás e computador, uma cozinha pequena, uma área externa onde é servido o café da manhã. Os quartos ficam no andar de cima e só existem dois banheiros coletivos, o que não é um problema, pois não há muitas vagas. As camas são beliche e o colchão e travesseiro são bons. O lugar todo é limpo, sem nenhuma reclamação. O dono é um australiano que se encantou pelo Rio e resolveu ficar e receber bem aos viajantes – e isso ele faz muito bem! A maioria dos hóspedes são gringos (quando eu fui, apenas eu e minha amiga éramos brasileiras) e eles piram na caipirinha que é servida, de graça, à noite.

Minha experiência foi muito legal. Achei o clima acolhedor o que ajuda os hóspedes a interagirem. Tanto, que uma noite saímos todos juntos para comer e beber. Além disso tudo, a localização não poderia ser melhor – há poucos quarteirões da praia de Ipanema, com bares e restaurantes por todos os lados.

Pontos positivos: Localização; Segurança (é tipo a Vila do Chaves); Acolhimento.

Pontos negativos: poucos banheiros.

Está em dúvida de onde se hospedar? Chega aqui e descubra as experiências incríveis que podemos construir juntos. Não é preciso embarcar em uma excursão para viajar com segurança. Com conversa, intimidade, experiência e vontade, dá para fazer uma viagem personalizada que te permita se encontrar (e se surpreender) onde quer que você vá.